sexta-feira, 22 de junho de 2012

"De Frente Pro Crime" - João Bosco


E o tempo que não se decide, uma hora faz frio e outra faz calor, e os dois possuem seu brilho. Nesse turbilhão de clima uma canção que retrata um pouco desse dia-a-dia não tão bonito de ver.

"De Frente Pro Crime" foi lançada no álbum "Caça à Raposa" (1975), sendo composta por João Bosco e Aldir Blanc. A música tem o ritmo gosto do samba que faz a gente querer dançar e a letra que nos faz refletir.

"Ta lá o corpo estendido no chão. Em vez de rosto uma foto de um gol, em vez de reza uma praga de alguém e um silêncio servindo de amém..."

"Tudo deve ser feito da forma mais simples possível,
mas não mais simples que isso."
(Albert Einstein)

Confira a super versão da mistura gostosa de João Bosco, Roberta Sá e Trio Madeira:



"De Frente Pro Crime"

Ta lá o corpo estendido no chão
Em vez de rosto uma foto de um gol
Em vez de reza uma praga de alguém
E um silêncio servindo de amém
O bar mais perto depressa lotou
Malandro junto com trabalhador
Um homem subiu na mesa do bar
E fez discurso pra vereador
Veio camelô vender anel, cordão, perfume barato
E baiana pra fazer pastel e um bom churrasco de gato
Quatro horas da manhã baixou o santo na porta-bandeira
E a moçada resolveu parar e então...
Ta lá o corpo estendido no chão
Em vez de rosto uma foto de um gol
Em vez de reza uma praga de alguém
E um silêncio servindo de amém
Sem pressa foi cada um pro seu lado
Pensando numa mulher ou num time
Olhei o corpo no chão e fechei
Minha janela de frente pro crime
Veio camelô vender anel, cordão, perfume barato
E baiana pra fazer pastel e um bom churrasco de gato
Quatro horas da manhã baixou o santo na porta-bandeira
E a moçada resolveu parar e então...
Ta lá o corpo estendido no chão

#ficadica Site
Marcela Oliveira Web Developer

Nenhum comentário: